Sabemos que ter um tanque de abastecimento interno é um projeto que requer um estudo profundo, mas que pode trazer um excelente retorno financeiro e operacional para empresas que possuem frotas, ou que compram combustível com recorrência.

 

O investimento para adequação da infra estrutura e para a compra de tanques se paga com o poder de negociação. Para garantir uma operação saudável, o acompanhamento das compras de combustível passa a ser o maior desafio para empresas que abastecem seus veículos internamente. 

 

Elencamos sete fatores que são fundamentais para garantir que a sua operação de abastecimento interno seja feita da maneira mais segura e eficaz trazendo retorno à sua empresa:

 

1) Escolha um bom fornecedor de combustível

Escolher um bom fornecedor parece óbvio, mas é realmente o primeiro passo para ter uma operação bem sucedida. Além da qualidade do produto, você precisa de alguém que tenha a capacidade e flexibilidade logística de entregar os volumes necessários com a frequência e os prazos que você precisa. Além disso, é muito importante que o seu fornecedor não tenha problemas com antecedentes e tenha um bom histórico na praça. Não procure apenas o melhor preço, entenda quem pode ser o melhor parceiro.

 

2) Certifique-se que o combustível será entregue

É muito importante que você se equipe com subsídios para garantir que a entrega seja feita. Deixe bem claro e documentado quais são os prazos e horários da entrega. Organize e guarde suas notas fiscais e códigos de rastreamento. Pegue a informação de contato do transportador e do veículo de entrega. Algumas soluções, como a combumarket, oferecem uma plataforma de acompanhamento para a jornada de compra que pode facilitar o rastreio. Sistemas de geolocalização também podem te dar mais controle.

 

3) Efetue um teste de qualidade do combustível

Quando o transportador chegar em sua empresa para fazer o abastecimento do seu tanque, é imprescindível que você cheque a nota fiscal e razão social para ver se o pedido é realmente o seu e faça um teste de qualidade na hora. Observe se o lacre que está no CT é o mesmo indicado na nota, se estiver correto deslacre a tampa do compartimento e verifique se o produto está na seta. Se tudo estiver em conformidade, drene cerca de vinte litros através da válvula de fundo e retire uma amostra para análise em proveta. Se houver presença perceptível de água ou impurezas, deve-se discutir a reposição do combustível com o fornecedor.

 

4) Ateste que os tanques estão prontos para receber o combustível

Os tanques de armazenamento de combustível são peças chave na operação de abastecimento de frota. O combustível pode durar bastante tempo sem perder qualidade, se os devidos cuidados com o armazenamento do diesel forem tomados. Para isso, o tanque de combustível deve ser totalmente limpo caso impurezas sejam detectadas no sistema. O ar presente nos tanques pode oxidar o combustível e a água favorece o aparecimento de materiais microbiológicos. Tais materiais podem comprometer o filtro do combustível e as tubulações por conta do acúmulo da borra devido a presença do biodiesel no combustível. Portanto, o tanque deve ser drenado semanalmente para o combustível não comprometer sua frota. As empresas que possuem tanques de abastecimento devem se assegurar de que o mesmo seja feito de um material compatível com o combustível. Ainda, é importante que o tanque de destino seja exclusivamente usado para esse produto. A utilização concomitante de óleos vegetais in natura ou outros produtos que prejudiquem a qualidade do óleo diesel não deve ocorrer. Ao receber o combustível, o laudo da distribuidora deve ser verificado e os bocais e tubos cuidadosamente limpos, evitando que se contaminem. Na eventualidade da transferência de combustível se dar durante tempo chuvoso, proteja o bocal o máximo possível.

 

5) Garanta que todos os cuidados ambientais estejam em prática

É importante que as empresas, além do procedimento de drenagem periódico, se atentem aos resíduos provenientes desta drenagem, implementando meios de separação da água e do óleo. A maneira mais utilizada são unidades de separação de água e óleo, chamadas caixas “SAO” (Caixa Separadora Água e Óleo). Para se enquadrar à legislação vigente, é necessário instalar estas caixas, visto que a preocupação do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) se deve ao fato de que, até em pequenas quantidades, os óleos se acumulam nas tubulações e chegam às estações de tratamento de esgoto das cidades. Também faz parte das preocupações do CONAMA, evitar a poluição do solo e impedir que os resíduos de combustível cheguem até as tubulações de esgoto, onde pode haver a formação de gases e, consequentemente, perigo de explosões.  O assunto é coberto por legislação federal, estadual e municipal. Verifique às condições mais aplicáveis à sua localidade e tenha certeza que sua operação preserva o meio ambiente de contaminação, que pode ser severa. Para maiores informações a respeito das normas ambientais, leia a resolução do CONAMA 273, de 29 de novembro de 2000.

 

6) Capacite os profissionais envolvidos na compra de combustível

Este é outro fator que parece ser óbvio, mas que muitas vezes é passado batido. O combustível é feito de derivados de petróleo extremamente delicados e complexos, todo seu manuseio deve ser feito com todos os cuidados possíveis e respeitando os protocolos de segurança. É muito importante que toda a sua operação esteja em conformidade com a norma ABNT NBR 15.512, que estabelece os requisitos e procedimentos para o armazenamento, transporte, abastecimento e controle de qualidade de combustíveis. Além disso, capacite sua equipe, desde o frentista que vai operar o abastecimento, até o gestor de frotas e toda a cadeia de logística de compra e recebimento do combustível. É muito importante que todos entendam os protocolos de segurança, tenham noção da composição química, os aspectos do derivado, e os atributos de performance. Para quem operar no mercado, é importante que saibam como o combustível é comercializado, os elos que atuam na cadeia de distribuição e entender a composição de preços e fatores que o alteram. 

 

7) Faça uma gestão completa da sua compra de combustível

Talvez o cuidado mais importante para garantir a eficiência da sua operação é com a compra do combustível. Primeiramente, é importante que você faça um controle dos seus gastos e guarde as suas notas fiscais para acompanhar o histórico das suas compras e poder emitir relatórios com facilidade e precisão. Também é  importante acompanhar o preço do petróleo e seus derivados para poder entender as tendências e programar suas compras de acordo com os preços, e assim, gerir seu estoque. Além disso, como sabemos que os preços sofrem alterações constantes, esteja por dentro dos reajustes de mercado e faça o acompanhamento da margem do seu fornecimento para ter certeza que os reajustes estão sendo devidamente aplicados. A Combudata pensou em todos os parâmetros e automações que você precisa para gerir suas compras de combustível, venha nos conhecer e descubra como você pode economizar comprando com eficiência! 

 

Conheça a CombuData agora!

Posts relacionados

Seja o primeiro a comentar!


Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *